Poesia

In Poesia

Poesia: deleite-se ou delete-me (06.11.15).

 

Maraãvilhosos,

malabares

 

Ando numa fase, de mão dupla, muito Nelson Cavaquinho (“Me dê as flores em vida”)! E como recebi uma flor em vida, quero dividir com todos o presente com o qual me perfumou a alma o Poeta. Eis o que disse:

 

José Osterno Campos de Araujo - 21/10/15 18:59

 

Caro Colega e Poetíssimo Osório,

Acabei a leitura (ou seria melhor dizer DELEITE) de teu precioso "Poemas Passionais".

Ainda embriagado da mais pura poesia, destaco (tarefa assaz difícil, ante tantas preciosidades): Vinho Encorpado e Destino, simplesmente belíssimos, além, é claro, de Lia, Fase de Ciúmes, bebo para esquecer, Anúncio, A Mulher Dormindo, Aline e Adriana, obviamente sem desmerecer os demais.

Que Deus lhe dê mais e mais transpiração (muita) e inspiração (também) para mais e mais poesia.

Que em você a poesia seja tanta e tanta .... até morrer (velhinho).

Abraço do colega que o admira,

Osterno

Posso eu negar que já ganhei um prêmio Nobel? Nunca!

Muito obrigado, de novo, ao estimado bi-Colega, Amigo e Poeta Osterno, a quem externo minha profunda gratidão já pelo simples carinho da leitura.

 

 

Abaixo a letra de uma música para saudar a chegada ao mundo da herdeira do querido Gustavo Torres Soares.

É o que o tio tem para niná-la e desejar a ela muita saúde!

 

Abraços,

 

Osório

 

POEMEMOS:

Tango para Teresa

 

 

Hoje alguém pos a rodar

Um disco de Gardel no partamento junto ao meu

Que tristeza me deu

Era todo um passado lindo

A mocidade vindo na parede me dizer para eu sofrer

Trago a vida agora calma

Um tango dentro d'alma

A velha história de um amor que no tempo ficou . . .

 

Garçon ponha a cerveja sobre a mesa

Bandoneon toque de novo que Tereza

Esta noite vai ser minha e vai dançar

Para eu sonhar . . .

 

A luz do cabaré já se apagou, em mim

O tango na vitrola, também chegou ao fim

Parece me dizer

Que a noite envelheceu

Que é hora de lembrar

E de chorar . . .

 

 

Autor: Evaldo Gouveia e Jair Amorim.

 

(ouça em: https://www.youtube.com/watch?v=kRrN7XZVlnE).

 

Site Parceiro

tercio

Você está aqui: Home Poesias Poesia: deleite-se ou delete-me (06.11.15).