Poesia

In Poesia

Poesia: deleite-se ou delete-me (01.01.16).

Caroas todoas,

 

começar o ano com uma sexta-feira em que, obviamente, é feriado, não há cartão de crédito que pague!

 

Dizem que, há algum tempo (no ano passado) a coisa esteve tão ruim que o único que estava pagando as contas era o “Japaguei”, mas nem este pode pagar esta sextona!

Iria deixá-la passar em branco, mas meu coração falou mais forte, razão pela qual, como incentivo ao novo ano que hoje se inicia, trago-lhe duas gotas de incitamento a enfrentarem as adversidades, caso elas surjam em vossos caminhos que, espero, seja atapetado e carpetado e “taqueado” com flores perfumadas!

Bom primeiro dia do ano com:

Brinde aos loucosw 

 e,

 

Abraços,

Osório

P.S.: pensei nesta definição para poeta: “é o homem capaz de transformar sentimentos em realidade.”

 

Se assim for, e é, acredite que um mundo melhor é possível, mesmo que alguém, que não quer o melhor para os outros também, te chamem de loucoa!

 

Site Parceiro

tercio

Você está aqui: Home Poesias Poesia: deleite-se ou delete-me (01.01.16).