Outros Escritos Meus

Salário de servidor público: verdades, mentiras e …

 

 

Salário de servidor público: verdades, mentiras e …

 

 

Insisto que a internet não é aquilo que Umberto Eco diz que ela é 

 

 

Entretanto, não posso deixar de reconhecer os exageros, especialmente por parte de quem afirma sem sequer antes perguntar. Bem como por parte daqueles que acreditam que tudo que está na internet é “verdade” (trato disso em: http://www.osoriobarbosa.com.br/node/991)!

 

Uma das mentiras que muitos acreditam ser verdade refere-se aos vencimentos (subsídios) de servidores públicos federais.

 

De vez em quando, aqui na internet, publica-se que o juiz fulano de tal do tribunal tal ganhou 3 (três) vezes mais que seus colegas e, com isso, nem tão sub-repticiamente, vem a pecha de “corrupto”!

 

Dia desses, por exemplo, alguém postou que o juiz federal da moda, o Dr. Sérgio Moro, tinha recebido uma vultosa quantia em determinado mês do ano!

 

Seus críticos aplaudiram. Seus apoiadores, aparentemente por desconhecimento, calaram-se, ou não são meus amigos na rede social que frequento. Eu, de imediato, disse que se tratava de um absurdo, de algo para tentar macular a honra do magistrado, e até “aconselhei”: se querem discordar do juiz, não é por aí, pois aí ele está correto, agindo dentro da legalidade (de acordo com a lei)!

 

E por que fiz tal defesa? Vou dizer agora.

 

Em um determinado mês do ano, TODOS, não esqueçam, TODOS os servidores públicos recebem o dobro e algo mais daquilo que recebem normal e mensalmente.

 

E por que isso?

 

É que nesse mês, atípico, os servidores recebem:

 

1 – Salário/subsídio normal 10,00 (a título de exemplo).

 

2 – 1/3 a mais de férias 3,30

 

3 – 13º salário 10,00

 

Os magistrados ainda podem vender 10 dias de suas férias, o que significaria, na conta acima, mais 3,30 (sem dizer que eles têm duas férias por ano).

 

Agora, mais ainda, os contracheques dos servidores públicos federais (diversamente dos parlamentares: deputados e senadores!) consta da própria internet! O trabalho é consultar, mas fica a dica: vá no portal transparência da instituição a qual está ligado o servidor e consulte seus vencimentos/subsídios.

 

 

O mais é “fok lore”!