Poesias

In Poesia

Uma canção desesperada por Pedro Antonio Roso.

 

Uma canção desesperada por Pedro Antonio Roso,

 

(Nonoai-RS, 18.06.64 – Porto Alegre-RS, 01.11.16)

 

Pedro Antonio Roso 3a

 

 

 

Por que me fazes tanta falta?

Esta é pergunta sem sentido, sábio amigo.

Desde quando precisamos ter respostas para tudo?

Raridade é ter resposta para qualquer coisa!

Ontologia não explica qualquer ser.

Amizade, admiração, respeito têm de ser definidos?

Não as conseguimos dizer, mas as sentimos.

Ter motivo nem sempre é fundamental.

O encontro desse motivo é o que importa.

Na amizade tudo se cria, mas nada se transforma!

Imortal é a amizade por isso!

Olvidamos de buscar razões para sua existência.

Raro é quem passa por nós e crava o ferro em brasa.

O sinal jamais se apagará!

Se não se tem ferro, há algo mais forte e quente:

O encanto pelo que é belo e fugaz: você.

 

São Paulo, 02.10.16.